Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

hotel de ville façade

A casa do povo parisiense como diz o incrível monsieur le maire (governador) Delanoë de Paris.
Delanoë fez coisas incríveis pela cidade de Paris, tanto no social quanto no cultural, vejam o exemplo da nuit blanche (que falei aqui) e que chega daqui a pouco.

Há algum tempo atrás eu tinha escrito um post sobre o assunto, para ser mais precisa em 2011 quando comecei o blog (e há alguns muitos dias prometi no instagram, rs) e acabei abandonando ele nos rascunhos. Grande erro, afinal de contas sempre que alguém vem à cidade seja ele parisiense morando fora, francês ou estrangeiro eu falo sobre a visita ao Hôtel de Ville e comento o quanto é interessante e que vale a pena tentar visitar.

Desde que fiz primeira visita fiquei encantada, claro pelo local, mas também pelo conteúdo do guia. Nesse meio tempo já fiz a visita quatro vezes. E posso afirmar que a cada visita descubro outro detalhe pitoresco isso sem falar nas explicações. Pois é qualquer dia poderei eu estar guiando, visto as informações que fui adquirindo com o tempo.hotel en feu O Hôtel de ville, após a revolução francesa se torna o símbolo da liberdade de Paris. Mas o prédio como o conhecemos hoje não é de época, ele foi incendiado na época da Comuna de Paris, 1871. A fachada, por exemplo, foi reconstruída praticamente de forma idêntica ao original.
L'Hotel de Ville de Paris

Para vocês entenderem melhor o Hôtel de ville não é simplesmente o prédio oficial do governador de Paris, ele é tão importante quanto o Élysée, onde vive e exerce o presidente da república francesa. É no Hôtel de ville inclusive que o presidente toma posse e faz seu discurso ao lado do governador de Paris. Ele é passagem “obrigatória” a cada visita oficial de um chefe de estado em Paris.

Mas vamos falar do passado, au parvis de l’Hôtel de ville onde, por exemplo, é instalada a pista de patinação no inverno, ali antes era conhecido como Place de Grève, aonde o povo vinha buscar empregos, chegavam cedo e de la normalmente saiam empregados. E da Place de Grève surgiu a expressão “faire la grève“, fazer greve. A origem desta expressão veio somente a partir do século XIX, quando os trabalhadores descontentes se reuniram no mesmo lugar e a expressão assumiu seu significado atual.

la voute d'acier

Durante a visita vocês passarão por obras que contam a história da França e de Paris. Um quadro bem interessante é La voûte d’acier pintado por Jean-Paul Laurens, no qual Louis XVI recebe das mãos do maire Bailly um medalhão tricolor, na recepção do rei que reconhece pela primeira vez a assembléia no então Hôtel de ville (prefeitura) de Paris em 1789. Mas o detalhe mais interessante é como o rei foi retratado, Louis XVI era um homem alto, mas nesse quadro ele é menor que todos os homens nele presente. Inferiorizando assim o rei, nessa pós vitoria da revolução na frente do primeiro maire (governador) de Paris, Bailly e de sua assembléia.em detalheA visita ocorre por diversos salões, mas antes para acessar os belos salões tomamos a belíssima escadaria de honra.
escalier honeur

Pequeno parêntese, falando em escadaria a escada em espiral do pátio interno que podemos observar pelo salon Arcades do Hôtel de ville é a copia da escadaria do castelo de Blois (meu preferido na região).escalier interne1

Já nos salões, tudo vai depender por onde seu guia vai começar, mas, por exemplo, se for o salão de festas, vocês verão retratadas as regiões francesas com seus produtos agrícolas e até suas antigas colônias.

Pintura no teto do salão, Auvergne e Lorraine

Pintura no teto do salão, Auvergne e Lorraine

Argélia antiga colônia

Argélia antiga colônia

Um clin d’oeil bem legal é que ao adentrar os salões vocês terão uma sensação de déjà-vu, e com razão. A república queria mostrar o quanto grandiosa ela poderia ser, maior que a monarquia, então decidiu que queria um salão tão grande quanto a galerie des Glaces de Versailles, tão longo não foi possível, mas ele é mais largo e usa a mesma idéia dos espelhos ao longo da sala e de frente para as janelas.
salle de fetes1

Num dos salões vocês verão numa vitrine os documentos de cada posse dos presidentes franceses, assinado por eles e pelo governador da época da posse.

Vou deixar o mistério dos outros salões para vocês descobrirem ao longo da visita de vocês. Mas acho que o Hôtel de Ville merece diversos posts. Quem sabe?

Antes de terminar o post um ponto legal que muitos não sabem e que a guia irá explicar (acredito) é o do por que do símbolo de Paris ser um navio: simplesmente antes o comércio de Paris era todo feito por meio fluvial.
blasao

Como fazer o passeio:
As visitas são guiadas, podem ocorrer uma vez por semana, as segundas ou sextas, sendo possíveis duas vezes ao dia no verão, pela manha às 10h e a tarde às 15h30. Certas semanas as visitas podem ser canceladas, pois pode haver visitas oficiais previstas.
Para visitar é preciso reservar, tanto para visitas individuais ou de grupos. As visitas individuais são em francês, mas as de grupo podem ser; inglês, alemão, espanhol, italiano e russo.
A visita dura em torno de 2 horas e é gratuita.
Para visitar é necessário reservar uma semana antes e de preferência às sextas-feiras.

Informações e reservas:
Na recepção do Hôtel de ville
29 rue de Rivoli 75004
Segunda aos sábados das 10h às 19h
Metrô: Hôtel de Ville linhas 1 e 11
E possível reservar pelo telefone:
01.42.76.54.04 / 01.42.76.50.49
Tarifa: Gratuito

Fonte imagens: Google

Anúncios